sábado, 28 de julho de 2012

ANÁLISE DO CONTO A CARTOMANTE




Tenho esse livro de contos há anos, já o li e reli diversas vezes. Nele constam os seguintes contos de Machado de Assis: Almas Agradecidas, Conto de Escola, Cantiga de Esponsais, Longe dos Olhos, Carolina, O Caso da Vara, Felicidade pelo Casamento, Um Apópolgo, A Cartomante e Missa do Galo. Esse último já fiz a resenha e postei anteriormente. Hoje quero fazer apenas uma análise de A Cartomante, cuja temática gira em torno de dois amigos de infância e a esposa de um deles. O tema é traição, adultério, triângulo amoroso. Enredo linear, o conto apresenta dois momentos de conflito, dois de pré-clímax e dois clímax. O primeiro conflito é quando há a união entre Camilo e Rita, o primeiro pré-clímax com o recebimento das cartas e o clímax com o bilhete. Já o segundo conflito, configura-se com o acidente na porta da cartomante, o segundo pré-clímax quando Camilo entra na casa da cartomante e o clímax quando o mesmo entra na carruagem. Desfecho ... LEIAM O CONTO, aliás leiam o livro todo que vale apena.
Há no conto um tempo psicológico com a lembrança de infãncia e um tempo indefinido, uma vez que é um fragmento da vida do personagem. O Foco narrativo está na terceira pessoa e o ponto de vista é externo. O ambiente, artificial, móvel. Os personagens são: Camilo - protagonista, indivíduo, plano; Rita - secundária, tipo, redonda; Vilela - antagonista, tipo, redondo.

Obs: Eu coloquei dois conflitos, dois pré-clímax e dois clímax  como possibilidades de leitura.





Nenhum comentário:

Postar um comentário